5 de setembro de 2018

Vigilantes penitenciários temporários de Catalão e Ipameri têm contrato desfeito após suspeita de tráfico de drogas, em Goiás


Dois vigilantes penitenciários temporários tiveram os contratos desfeitos com a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) de Goiás nesta terça-feira (4). Segundo o órgão, eles são investigados por envolvimento com um traficante. Um dos agentes atuava em Ipameri e outro em Catalão, ambas na região sudeste do estado.

A DGAP informou, por meio de nota, que os dois vigilantes, que não tiveram as identidades divulgadas, estão sendo investigados por tráfico de drogas após apuração do serviço de inteligência da corporação.

Após terem os contratos cancelados, os dois funcionários foram encaminhados a uma delegacia de polícia, ouvidos e liberados.