4 de julho de 2020

Pré-candidata a vereadora, Rosemary Luciano Duarte, acusa prefeito Adib Elias de perseguição

 

Aprovada em processo seletivo da SAE, ela afirma ter perdido o cargo, por não aceitar apoiar o prefeito

Nesta semana, em entrevista ao programa “A Hora da Verdade”, na rádio TOP FM, a pré-candidata a vereadora Rosemary Luciano Duarte, do PRB, declarou que vem sofrendo perseguição política por parte da administração municipal. Ela, que apoiará o pré-candidato a prefeito Elder Galdino, do MDB, acusou o prefeito Adib Elias de prejudicá-la em um processo seletivo simplificado, da Superintendência Municipal de Água e Esgoto (SAE). Rosemary alegou ter perdido uma vaga que havia conseguido, por mérito, por não ter aceitado a proposta de desistir da sua candidatura e de não apoiar Elder Galdino e caminhar nas próximas eleições com Adib Elias.
A pré-candidata disse que passou pelo processo seletivo, que a lista dos aprovados foi divulgada e que ela foi chamada ao gabinete do prefeito e foi pressionada por ele, a desistir da candidatura de vereadora e apoiá-lo para prefeito, se quisesse trabalhar na SAE. “Ele disse que eu trabalharia na SAE, apenas se ele quisesse. Eu disse não”, contou Rosemary, que garantiu que tem uma gravação desse dia, de cerca de 30 minutos, do encontro com o prefeito, além de toda a documentação do processo seletivo da SAE.
Mesmo depois da conversa com Adib Elias, Rosemary disse que levou toda a documentação necessária e fez os exames, iniciando treinamento na SAE, inclusive, recebendo uniformes. Ela contou, que no primeiro dia, um diretor a chamou para conversar, dizendo que era melhor aceitar a proposta do prefeito e ficar com o serviço. “Ele me falou para desistir da minha candidatura e apoiar o Adib, e eu perguntei se isso tinha partido da prefeitura.

Ele disse que pediram para que ele falasse comigo. Eu respondi que eu não aceitaria, que eu tinha um compromisso com meu partido e que era também uma questão moral”, explicou Rosemary, que informou que foi procurada outra vez pelo prefeito.
Posteriormente, Rosemary entrou em contato com a SAE, que alegou que não havia mais a vaga que ela havia conseguido e que os aprovados foram chamados, porque o processo seletivo estava chegando ao final, algo que nunca foi falado para ela. “Eu cheguei a pegar os uniformes e fazer treinamento, mas depois, a vaga sumiu. Senti meu direito lesado, pois ameaçaram tirar o cargo que consegui e tiraram. O poder aqui em Catalão sobrepõe os direitos. Eu quero uma resposta, preciso saber se foi porque eu não aceitei a proposta que me fizeram”, lamentou.
O site “Diante do Fato” entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Catalão, para saber qual o posicionamento do prefeito Adib Elias frente à entrevista da pré-candidata a vereadora. A Assessoria informou que não responderia a esse assunto.