23 de outubro de 2019

Idoso de 89 anos visita posto de saúde todos os dias em Catalão e até ganha festas de aniversário: ‘Família’

Idoso de 89 anos visita posto de saúde todos os dias e até ganha festas de aniversário: ‘Família’ Arlindo José dos Santos faz questão de ir diariamente à unidade medir a pressão e conversar com servidores.

O idoso Arlindo José dos Santos, de 89 anos, vai todos os dias ao posto de saúde do bairro onde mora, em Catalão, no sudoeste de Goiás. Ele deixa sua casa, a duas ruas de distância, e vai a pé até o local medir a pressão e conversar com os funcionários, a quem considera família. Tanto que há três anos ele ganha festas de aniversário dos servidores da unidade.Este ano, ele ganhou a terceira festa de aniversário da equipe.

A recepcionista Unidade Básica de Saúde (UBS) Cristina de Cássia, Jéssica Kelly Rosa, conta que os servidores se juntam para fazer uma comemoração surpresa para o aposentado.“Cada um juntou o que tinha e a gente comprou balão, bolo, biscoitos e refrigerante. Ele quase chorou, queria pagar pra gente o valor que a gente gastou com o lanche. Ele fala que a família dele é a gente”, diz.

Segundo a enfermeira Fernanda Daniele Inácio, desde os 87 anos Arlindo comemora seu aniversário, no dia 12 de junho, na unidade. Em 2020, quando ele completará 90 anos, a equipe pretende fazer uma festa ‘maior’.

Visitas

A enfermeira conta que a visita diária de Arlindo à UBS já virou uma tradição.“Ele vem todos os dias. A gente conversa, já temos intimidade.

Ele fica emocionado com o carinho que a gente tem por ele. É como se a gente fosse família dele”, diz.Com a saúde em dia, o idoso é uma inspiração para a equipe da unidade de saúde.“A saúde dele é melhor que a minha. Brinco com ele que se eu tiver metade da saúde dele está ótimo”, diz Jéssica Kelly, de 28 anos.

Quando o idoso não aparece, a equipe fica preocupada. Da última vez que isso aconteceu, Arlindo estava internado com pneumonia e ficou dois dias sem ir até a unidade.“Quando ele não vem, a gente já tenta procurar, ir na casa dele. Perguntamos para os vizinhos, já que ele não tem telefone”, comenta Fernanda.

De acordo com a enfermeira, aos 89 anos, Arlindo é totalmente independente.“Ele mora sozinho, no fundo da casa da filha. Ele mesmo faz a comida dele, vem a pé nos visitar, faz tudo sozinho”, afirma.

O segredo para tamanha disposição? Fernanda acredita que seja a fé e a alegria.“Ele é muito religioso, tem muita fé, é muito alegre, não é de reclamar. E ele é bom de papo, adora conversar”, conta

Fonte: G1 / Goiás