24 de abril de 2012

Governador de Goiás se diz 'pronto' para falar à CPI do Cachoeira

O governador de Goiás, Marconi Perillo, afirmou nesta terça-feira (24) que, se convocado, prestará  esclarecimentos à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) criada para investigar o envolvimento de políticos e empresários com o bicheiro Carlos Augusto Almeida Ramos, apontado como chefe de uma quadrilha de jogo ilegal no estado e preso em fevereiro pela Polícia Federal.

Ex-senador, Perillo disse estar “tranquilo” para comparecer ao Congresso Nacional caso seja convocado para dar explicações. “Eu já fui três vezes membro de parlamento, estou acostumando em relação a isso e estou pronto a esclarecer qualquer dúvida em relação a qualquer assunto. […] Estou muito tranquilo em relação a isso”, disse.

O governador conversou com jornalistas após participar de uma cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, em que a presidente Dilma Rousseff anunciou investimentos do governado federal em obras de mobilidade urbana.

Perillo negou que Carlinhos Cachoeira tenha influência dentro do governo goiano e disse que a as licitações que a construtora Delta venceu no estado são “absolutamente legítimas”. Gravações da Polícia Federal indicam o envolvimento da Delta com Cachoeira.

“Ele [Cachoeira] nunca ousou fazer qualquer solicitação em relação à atividade dele”, disse. “Muito menos não há qualquer ilícito em relação à construtora Delta ou em relação a qualquer outra construtora”, completou Perillo.

O tucano afirmou ainda que não está sendo investigado pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que levou à prisão de Cachoeira.

“Existem algumas citações irresponsáveis em relação ao meu nome, pessoas querendo vender facilidades. O governo do estado não tem envolvimento em nenhuma dessas investigações que foram feitas na Operação Monte Carlo”, declarou o governador.