23 de junho de 2020

Enquanto centro é priorizado, bairros de Catalão sofrem sem infraestruturas

Praça do bairro Pontal Norte está abandonada pelo poder público 

Os bairros mais afastados do Centro de Catalão vivem à margem das regras urbanísticas, sem direito à qualidade de vida, sem infraestrutura para o trânsito. Ruas sem calçamento, poucas linhas de ônibus, atrasos, coletivos em más condições. Há bairros onde o transporte público não passa nas ruas “por dentro”, aumentando o percurso do usuário até a parada que, por sua vez, não tem cobertura.


Quem opta por se livrar desse problema e aderir à bicicleta como meio de transporte, enfrenta outro drama, se arriscando em meio ao trânsito por não contar com ciclovias ou ciclofaixas que garantam segurança.

Os pedestre, por sua vez, não escapa das dificuldades, encarando calçadas esburacadas onde é difícil caminhar. Idosos, cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção são as mais penalizadas com as condições das calçadas que, em muitas vias, sequer existem.

As dificuldades, porém, não param por aí. Quem tem carro também amarga prejuízos. Buracos, irregularidades, água acumulada nas ruas patrocinam as “quebras” que levam os proprietários a tirarem do bolso valores altos para consertar o automóvel adquirido com esforço, a saúde de Catalão está na UTI.

Enquanto isso, o Município esquece de investir em melhorias para quem vive nas áreas mais carentes da cidade. E assim funciona a mobilidade urbana em vários bairros de Catalão, onde sobram problemas e faltam soluções.
Enquanto alguns bairros de Catalão são esquecidos, quem mora no centro conta com ônibus que passam com frequência, calçadas acessíveis e padronizadas. “Infelizmente, ocorre isso, em nossa cidade , reatou uma moradora do bairro Maria Amélia.

Enquanto os bairros afastados estão esquecidos , o centro de Catalão recebe todo  benefícios do poder Público.