21 de dezembro de 2018

Desespero de uma mãe devido à saúde do filho presidiário.

O direito do preso à assistência médica que for necessária está previsto na Lei de Execuções Penais, mas parece que isso não está acontecendo, a mãe de um detendo do Sistema Prisional de Catalão procurou a reportagem do Blog Diante do Fato para denunciar que o filho está doente no presídio e que a situação dele está cada vez pior.

Em áudio enviado a reportagem ela diz que não aguenta mais ver o filho nessa situação em que se encontra: “Sou Mãe de um rapaz de 22 anos de idade, estou precisando de ajuda porque ele se encontra mal, pois a saúde dele é grave e já tem um bom tempo que ele está tratando e eu não vejo resultado dos tratamentos.

Hoje fui visita-lo e percebi que ele não está nada bem. Eu só quero que eles internem meu filho, porque eu não tenho condições de pagar uma consulta particular. Eles o levam na UPA, ai meu filho recebe as receitas, mas só me entregam quando eu pego com ele na visita, eles não me comunicam nada do que está acontecendo. Me ajuda, por favor, não quero perder meu filho”.

Essa é a fala de uma mãe desesperada que não aceita a situação em que seu filho se encontra, pois foi acometido de algumas feridas no órgão genital e está se espalhando pelo corpo, deixando-o debilitado devido à falta de um tratamento mais incisivo. Ressalta-se que ele é levado na UPA – Unidade de Pronto Atendimento, como um paliativo, pois já se faz uns seis meses que estão nessas idas e vindas com ele aquela Unidade Hospitalar.

Segundo a mãe do rapaz ela só fica sabendo do estado de saúde dele nos dias de visitas, os quais ocorrem quinzenalmente, é aí que ela ficando a par da situação recebe as receitas médicas para comprar os medicamentos. O que precisa ser feito é uma internação rápida para fazer o tratamento adequado.

Esperamos que providências sejam tomadas por parte do poder público, para aliviar o sofrimento desta mãe e também a melhora da saúde do rapaz, para que assim possa cumprir a pena que lhe foi imposta.