5 de dezembro de 2018

Demolições de casas as margens do lago de Três Ranchos causam revolta na população.

A Cidade de Três Ranchos está localizada no extremo sudeste estado de Goiás, à margem direita do Rio Paranaíba. Limita-se ao norte com Ouvidor, a sul e oeste com Catalão, ao sul e a leste com o estado de Minas Gerais.
Estado esse, que está causando certo constrangimento a população trirranchense e também ao Prefeito da cidade de Três Ranchos, Hugo Deleon de Carvalho. Tudo isso, devido à indignação e revolta com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que por meio de medidas judiciais pediu reintegração de posse de casas que foram construídas em áreas do reservatório há cerca de 30 anos atrás, mas que somente agora tais edificações vêm sendo demolidas, gerando certa comoção e porque não dizer um sentimento de ira nos moradores da cidade do “Lago Azul”, que contam apenas com a renda do turismo.

O que atrai grande número pessoas de outras localidades, que vão à busca de contato com a natureza, descanso e também para praticar esportes náuticos e de aventura. Também é possível fazer trilhas e apreciar a vista do Mirante do Cristo, que fica na Serra de Três Ranchos.

Contudo, devido a esses atos da empresa Cemig só reforçam o que muitos relatam acerca da falta de compromissos e com o zelo pelo patrimônio público. Desta feita, o Prefeito Hugo Deleon usou as redes sociais para anunciar o seu posicionamento frente a Cemig, a qual nada contribuiu com a cidade e questionou os reais motivos das casas serem demolidas, uma vez que são bem cuidadas e embelezam a beira do lago.

Reforçou ainda que existe uma batalha judicial com vários processos, inclusive um contra a própria prefeitura de Três Ranchos, o qual ele afirmou ter atuado como advogado na época em que era Procurador Jurídico do município, onde ele contestou essas demolições, entre elas, a do Centro de Atendimento ao Turista, que corre o risco de ser demolido também.

Na noite de terça feira 04 de dezembro, o prefeito Hugo Deleon usou seu facebook para fazer uma convocação geral para uma manifestação que ocorreu na manhã desta quarta feira 05 de dezembro, em frente à Prefeitura Municipal, no Centro de Três Ranchos.

“Eu estava em Goiânia na segunda e hoje (terça-feira, 04) em Brasília-DF, cheguei mais cedo e andando pela cidade vi o clamor que era geral, por eu onde a gente passou as pessoas não se falava em outro assunto a não ser nas demolições das casas. Não doí somente no coração, doe na alma a gente ver essa situação, e para que? Qual é o sentido prático disso. Estou convidando toda a imprensa e a nossa população para estar com a gente, e se for preciso até que enfiemos na frente de uma máquina para que as demolições não aconteçam, a gente vai fazer”, frisou Hugo.

Segundo Hugo, a prefeitura protocolou ontem mesmo na Cemig, um ofício convocando-a para uma audiência pública, para que o assunto seja debatido e encontrem uma saída menos extrema. Disse ainda, que para ser obter resultados, se faz necessário à mobilização da população em geral para que as demolições não fossem permitidas, a Companhia Energética de Minas Gerais precisa ter um pouco mais de sensibilidade neste momento.

Ao mesmo tempo em que nos consternamos e somos tomados por um imperioso sentimento de solidariedade, reforçamos o apelo às autoridades mineiras para que não poupem esforços neste importante momento em que se encontram os cidadãos trirranchenses.