13 de março de 2021

Catalão confirma variante de Manaus

Secretário de saúde, Velomar Rios confirma lotação de leitos e gravidade dos casos. Cidade mantém regras rígidas para funcionamento do comércio desde 11 de janeiro

 


Catalão confirmou nesta semana que uma das variantes do coronavírus (Sars-CoV-2) identificadas em Manaus (AM) foi responsável pela infecção de um paciente, que é morador da cidade e que não havia viajado recentemente.

O secretário de saúde do município, Velomar Rios diz que isso significa que o vírus já deve apresentar transmissão comunitária. Ele diz que se preocupa, já que os casos que vêm sendo registrados na cidade nos últimos dias estão mais graves e acometendo pessoas mais jovens.

Rios detalha que este paciente se recuperou bem, em casa, sem a necessidade de internação. Mas ele reforça que apenas neste ano 110 pessoas morreram vítimas da Covid-19 em Catalão. Em todo ano de 2020, 89 mortes foram registradas. Ele ainda destaca que os casos que chegam às unidades de saúde estão mais graves. “O problema é o agravamento. Não sabemos se a pessoa fica em casa e espera para procurar atendimento e já chega grave ou se a doença tem se agravado mais rapidamente.”

Ele ainda reforça que o perfil dos acometidos pela Covid-19 com variação mais aguda mudou. Antes os casos graves e mortes eram majoritariamente em pessoas com mais de 65 anos. Agora, os casos graves e mortes vem aumentando entre as pessoas com menos de 75 anos, com destaque entre as pessoas com menos de 50 anos. Ele relata casos recentes de pessoas que chegam ao atendimento de urgência e não resistem por muito tempo, muitos nem chegam a ser atendidos.

Velomar Rios diz que desde o início da pandemia a cidade mantém sua estrutura de atendimento montada, com apoio de três hospitais particulares, além da Unidade de Pronto Atendimento, hospital municipal e um hospital de campanha, montado e mantido pelo município. O município possui 44 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e todos estão ocupados. Ele destaca que, por ser uma cidade referência no atendimento na região acaba recebendo pessoas de outras cidades. Dos 44 leitos, 21 são ocupados por pacientes de cidades vizinhas.

 

Fonte : O Popular