6 de novembro de 2018

A vida da gente é feita nos feitos de cada dia.

A exposição fotográfica intitulada A vida da gente é feita nos feitos de cada dia. Devagarinho, vai seguindo rumos que a gente nunca sonhou em seguir. acontecerá no Centro Integrado do Cerrado – CIC, do dia 7 a 23 de novembro.

Serão apresentas 20 fotografias, sendo uma de cada aluno que concluiu o curso ministrado pelo fotógrafo João Tavares, realizado no Instituto Tecnológico do Estado de Goiás (Itego) em Arte Labibe Faiad.

A vida da gente é feita nos feitos de cada dia propõe a reflexão sobre a exclusão das minorias, abordando temas como xenofobia, misoginia, transfobia, racismo, homofobia, gordofobia, gerontofobia, excluídos de rua, toxicômanos, dentre outros.

A arte traz a possibilidade de revelar algo. A arte fotográfica, ao fixar o instante do enquadramento escolhido pelo fotógrafo, destaca o que deve ser observado. Nesse caso, cria condições para mudanças de atitudes construindo “um mundo melhor, sem discriminação e violência, promovendo o respeito a todos”, salienta o fotógrafo João.
A exposição é recomendada para maiores de 16 anos.

A inauguração começa às 19 horas. Nos demais dias o CIC estará aberto para visitação das 14 às 18 horas.
A mostra é uma parceria entre o CIC, a Serra do Facão Energia, o Mestrado Profissional em História – UFG/RC, o NIESC – UFG/RC, a INHCS – UFG/RC, a Secretaria de Desenvolvimento do Estado de Goiás e o Itego.