15 de julho de 2020

A secretária interina da Saúde de Ouvidor, destaca as ações de prevenção e combate ao novo coronavírus no município

Secretária interina da Saúde de Ouvidor, Vivian Felício
 
A secretária interina da saúde de Ouvidor, Vivian Felício, falou sobre as ações de prevenção e combate ao coronavírus no município. A secretária também falou dos números do município e as medidas que a Prefeitura tem realizado, por meio da Secretaria da Saúde, no enfrentamento a pandemia.
 
A gestora destacou que o município esta realizando as testagens seguindo os protocolos do Ministério da Saúde no qual os pacientes com síndrome gripal realizam o Teste Rápido e os pacientes com síndrome respiratória aguda grave realizam o teste PCR.
 
Sobre a realização dos testes rápido, a Secretária destacou que é importante que a população entenda que os testes rápidos para a Covid-19 só devem ser aplicados a partir do 8º dia que iniciam os sinais e sintomas, porque esses testes não tem a capacidade de captar o vírus, ele apenas identifica os anticorpos e isso só ocorre a partir desse período.
 
A utilização de testes rápidos, antes do período pode levar a resultados ‘falso negativos’. Por esse motivo, a primeira e mais importante recomendação é o isolamento domiciliar.
 
A pessoa que apresenta sinais e sintomas de gripe deve ficar afastada dos demais moradores da casa, em um quarto sozinha, e se precisar ter algum contato, usar a máscara cobrindo nariz e boca. “Isto precisa ficar muito claro, o teste não pode ser entendido como um medicamento, porque não é. É um instrumento que nós temos para confirmar se a pessoa teve a infecção pelo coronavírus”.
 
Vivian Felício pontuou que o trabalho da Prefeitura de Ouvidor em relação ao combate ao coronavírus tem sido intensificado a cada dia, com as barreiras sanitárias, fiscalizações do comércio e novos decretos.
 
Os trabalhadores da saúde são testados, quinzenalmente, com o Teste Rápido com o intuito de identificar, bem como isolar os pacientes assintomáticos que possam transmitir o vírus ocasionando a quebra da transmissibilidade dentro das unidades de saúde, dos domicílios e da sociedade.