Projeto alimenta cães em situação de abandono em Campo Alegre de Goiás

Postado em

Na última terça-feira (8), durante a sessão da Câmara de Vereadores de Campo Alegre de Goiás, foi apresentado projeto que pretende alimentar cães e gatos em situação de abandono. A ideia consiste em instalar “comedouros” em áreas públicas da cidade com maior concentração de animais de rua.

O projeto é de autoria do presidente da Câmara Mauricinho da Nita (PSD) e foi aprovado por unanimidade. “O problema em relação ao abandono de animais é recorrente em nossa cidade. É notável o volume desenfreado de animais que vagam as vias públicas, como parques e praças, sem qualquer cuidado”, disse o autor do projeto. Ele explica que a ideia é proporcionar melhor qualidade de vida a estes animais, de forma que eles não serão ignorados e terão necessidades básicas – como água e ração – ao alcance.

“Um pouco de atenção culminará em mais aceitação. Estes animais podem ser resgatados, serão castrados e assim encaminhamos com saúde para adoção responsável. Esta é a máxima do projeto e esperamos amenizar consideravelmente o número de animais em situação de abandono em Campo Alegre de Goiás”, completa.

COMO FUNCIONA

A ideia é simples: o cidadão interessado em ser tutor de um ponto de alimentação entra em contato com os idealizadores do projeto; passa por uma triagem e assina um termo de compromisso para monitoramento diário da área em questão. A estrutura será fornecida ao voluntário e este ficará responsável pelo abastecimento de água e ração nos “comedouros” – canos de PVC adaptados e tranformados em recipientes.

Além de adesivos, os “comedouros” recebem uma placa que explica sobre o projeto, sendo o custo da manutenção e abastecimento por conta do voluntário.

Cada comedouro cabe, em média, 4kg de ração, que deve ser reposta todo dia. De acordo com a comerciante Ângela Maria dos Santos, de 42 anos, que é uma das voluntárias do projeto, o trabalho consiste num monitoramento do equipamento. “Não é difícil. Com pouco minutos diários uma pessoa pode ajudar e fazer a diferença”.

CUSTO

Para participar da ação é necessário comprar o comedouro, que custa em torno de R$ 100, e abastecê-lo ao longo do dia. Segundo a organização do projeto, eles devem ainda ser afixados em lugares longe do chão para evitar que a cidade fique suja ou ocorra a proliferação de pragas como ratos e baratas.

AMPARO

Por ter base na Lei Estadual nº 17.767/2012, que o Poder Público está autorizado a celebrar convênio e parcerias com Municípios, entidade de proteção animal e outras organizações não-governamentais, universidades, estabelecimento veterinários, empresas públicas ou privadas e entidades de classe.

FAÇA VOCÊ MESMO

Caso prefira não adquirir o comedouro, a opção é fabricar recipientes que tenham a mesma função. Não é complexo. Veja:

Materiais:

– Cano PVC 100 milímetros de 80 centímetros
– Dois cotovelos de cano de PVC de 90º
– Tampa de PVC; e
– Cola.

Como fazer:

Cole os dois cotovelos na base do cano, formando uma base que receberá a ração e a água. Depois de colocar o alimento, basta usar a tampa para fechar o outro lado do cano e pronto! Os animais em situação de abandono agradecem.

O Blog Diante do Fato parabeniza a aprovação do projeto e espera que a população de Campo Alegre de Goiás apoie e absorva a ideia. Animais alimentados são menos violentos; não têm a necessidade de mexer em lixos ou procurar por restos de comida no chão. Vale lembrar que são seres vivos e precisam de cuidados básicos.