Na tarde desta sexta-feira (2) policiais militares da 1° CIPMRv apreendeu uma arma de fogo durante abordagem a veículos na GO-506, entre Br-050 e o distrito de Santo Antônio do Rio Verde.

A prisão ocorreu no km 01 durante abordagem policial, onde no interior de um veículo GM Silverado, placa de Catalão, foi encontrado um Revólver Smith Wesson calibre  32, com 06 munições intactas.

Foi dado voz de prisão ao condutor do veículo,  em seguida o mesmo foi conduzido à delegacia de polícia cívil de Catalão para procedimentos cabíveis, ficando a disposição da autoridade competente.

Fonte: PRE

Por volta das 10h30 desta sexta-feira (2), o corpo de Cláudia Sérgio de Jesus foi encontrado boiando e resgatado por bombeiros que estão empenhados nas buscas.

O Corpo de Bombeiros de Ipameri, com apoio de mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Catalão, iniciaram buscas no rio Corumbá na manhã de ontem (1º), quando foi registrado o desaparecimento de um casal no leito do rio na quarta (31). Ainda nesta quinta, algumas peças de roupa foram localizadas dando indícios de que o casal estaria na água.


O IML de Catalão foi acionado para remoção do corpo de Cláudia Sérgio, que já foi identificado por familiares que estão acompanhando as buscas.

Com a chuva na região, o nível da água e a correnteza tendem a aumentar, o que pode dificultar o trabalho de busca. Até o momento não se sabe o que pode ter acontecido com o casal. O homem indetificado como Clarimar  ainda está desaparecido e as buscas continuam sendo feitas.


                               Prefeito de Cumari João Rios

A cidade de Cumari recebeu o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), no início da semana, para inauguração oficial da nova estrada que interliga a cidade aos demais municípios adjacentes.

Na ocasião, outras benfeitorias foram feitas, como a entrega de 50 casas à famílias carentes de Cumari. A solenidade contou com a presença do deputado estadual Gustavo Sebba (PSDB), o prefeito de Cumari João Rios (PDT) e a presença do deputado federal Marcos Abrão – que participou da entrega dos documentos que legitimam os beneficiários como proprietários das casas recebidas. Os documentos são da Agehab e foram entregues aos representantes das 50 famílias, estas que receberam as casas no mês de dezembro de 2017.

Estas entregas do Governo do Estado foram marcadas também pelo anúncio de reforma do estádio municipal – que já está em fase de licitação; reforma e revitalização da praça São João Batista – que foi autorizada por Perillo e deve ser executada e acompanhada pelo vice-governador José Eliton; e ainda foi anunciada as obras de recapeamento asfáltico das principais vias de Cumari (em que o município já está recebendo subsídio pelo programa Goiás na Frente).


“Esta parceria da prefeitura de Cumari e o governo do Estado tem trazido benefícios à população. Vamos continuar empenhados a buscar por recursos que possam auxiliar a nossa gestão a recuperar, construir e manter pontos importantes da cidade, como a nossa praça principal, o estádio municipal e as principais ruas de Cumari”, disse otimista o prefeito João Rios. “Desejamos uma Cumari progressista a todos os cidadãos”, finaliza.

Casal desaparece no Rio Corumbá perto de Ipameri

Postado em

Nesta quinta-feira (1º), o Corpo de Bombeiros de Ipameri, com apoio de mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Catalão, iniciou trabalhos no Rio Corumbá em busca de um casal  que está desaparecido desde quarta-feira (31).

As informações recebidas pela reportagem do Blog Diante de Fato são de que bombeiros de Catalão deram apoio nas buscas em terra e subaquáticas e algumas peças de roupa foram localizadas e identificadas por parentes como sendo do casal.

Não se sabe ao certo o que ocorreu, mas como foram vistos pela última vezes próximos ao Rio Corumbá, autoridades trabalham na hipótese de que o casal desaparecidos possam ter se afogado próximo à região da Vendinha – onde acontece anualmente o Mocajee.

Vamos acompanhar este caso.


Mãe luta por cirurgia para filho que tem hidrocefalia em Pires do Rio (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

 
A dona de casa Leocimar Bulhões espera há cerca de quatro meses por uma cirurgia de urgência para o filho, João Lucas, que tem hidrocefalia, um acúmulo anormal de liquido no crânio. Ela, que mora em Pires do Rio, no sudeste de Goiás, já fez o pedido de tratamento, mas ainda não há previsão de quando o procedimento será feito.
 
Leocimar conta que, devido ao problema, o filho tem um crescimento do tamanho da cabeça. “Fora isso, ele sente muitas dores, ficar nervoso, chora bastante”, disse. O menino tem 1 anos e 8 meses. Um laudo assinado por um neurologista aponta que a doença está evoluindo desde que a criança tem 6 meses.
 
A mãe procurou a rede pública de saúde em Pires do Rio no fim do ano passado, mas até o momento não conseguiu fazer o procedimento. “A última vez que eu fui lá, estava no sistema que o caso era urgente e o prazo para fazer a cirurgia era de um mês. Desde então, já tem quatro meses”, contou a mãe.
 
A secretária de Saúde da cidade, Carla Cotrim, informou que já foi feita uma solicitação de atendimento de urgência para o João Lucas ainda em 2017. “Nós estamos empenhados, aquilo que a gente pode fazer [estamos fazendo]. Temos toda a documentação e os protocolos. Nós necessitamos que Goiânia nos receba para que façamos essa cirurgia”, disse.
 
Já a Secretaria de Saúde de Goiânia confirmou que a Prefeitura de Pires do Rio fez o pedido de cirurgia, mas não há previsão de quando o menino seja operado. O órgão explicou que o caso é considerado de urgência, mas não há risco imediato de morte.
Fonte: G1/ Goiás 

O promotor de Justiça Lucas Arantes Braga propôs ação civil pública contra a Saneago e os produtores de cachaça de Nova Aurora Márcio Ribeiro de Carvalho e Luciana Espíndola da Silva, por irregularidades que ocasionaram a poluição do manancial de abastecimento público do município. Segundo detalhado na ação, em 4 de outubro de 2017 houve vazamento de vinhoto (subproduto da cana-de-açúcar) do engenho que os empresários possuem, contaminando o Córrego Capão Grande.

Assim que foi verificada a contaminação, a Saneago interrompeu o abastecimento de água, que perdurou por 24 horas, com a instrução, pela própria empresa, através de um carro de som, que se fizesse o esvaziamento das caixas d’água das residências. Ao detalhar o ocorrido, Márcio Ribeiro apontou que a lagoa de contenção de vinhoto, também conhecido como vinhaça, que é um resíduo pastoso e malcheiroso que sobra da destilação fracionada do caldo de cana fermentado, transbordou com a chuva e caiu diretamente no córrego.

Veja a matéria publicada no Blog Diante do Fato no dia 1 de novembro de 2017

 

Resíduos de alambique, coliformes fecais atingem manancial e Nova Aurora fica com água comprometida

Diversas pessoas ouvidas pela Promotoria confirmaram que a água apresentava cheiro de bagaço de capim e garapa, com gosto adocicado. Além disso, peritos da Universidade Federal de Goiás comprovaram que houve, de fato, o derramamento de vinhoto, tendo em vista que o solo onde o subproduto da cana escorreu ficou enegrecido. A situação também foi confirmada por análise da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Secima), que atestou ainda que o empreendimento não possuía licença ambiental e que os tanques de vinhoto não possuíam revestimento nem impermeabilização, o que possibilitava a contaminação do solo. Ao final da análise da Secima, as atividades do alambique foram embargadas e foram impostos dois autos de infração ao empreendimento, por fazer funcionar o local sem licença ambiental e por causar poluição hídrica.

Além disso, ao justificar o motivo da solicitação de desabastecimento feita pela Saneago, o órgão informou que análise da água apontou não somente a presença do vinhoto como grande quantidade de estercos oriundos de currais e chiqueiros existentes ao logo das margens do córrego Capão Grande. Para o promotor, “pode-se concluir que o vinhoto não foi o único componente que prejudicou a qualidade da água do córrego, mas também o acúmulo de fezes de animais, de modo que a Saneago, como companhia responsável pelo abastecimento, deveria ter informado à população dessa situação e tomado providências, como medida de prevenção, para solucionar o problema”.

Danos morais
De acordo com Lucas Braga, a interrupção da água acarretou graves problemas sociais, como a suspensão das aulas nas creches e escolas municipais e estaduais situadas no município de Nova Aurora. Ele destaca ainda que, durante o período de 24 horas de interrupção, os moradores tiveram que comprar água no comércio local, já que nem os proprietários do engenho nem a Saneago forneceram água potável à população. De igual modo, nenhum desconto foi feito na conta de água em razão da interrupção do serviço, conforme declaração de testemunhas.

Segundo o promotor, de um lado a Saneago descumpriu com suas obrigações estabelecidas no contrato de concessão do serviço, ao não promover nenhuma melhoria no sistema de purificação de água, tampouco realizou medida preventiva para evitar a interrupção do abastecimento, ou seja, não providenciou o reflorestamento da área de proteção permanente do córrego que abastece a cidade, não tomou providências diante da construção de empreendimentos potencialmente poluidores, não acionou órgãos ambientais para fiscalizarem esses empreendimentos, não indenizou os consumidores, não forneceu água potável à população, não custeou a compra de água mineral no comércio da cidade, não concedeu desconto na conta de água, entre outras omissões.

Já quanto aos empresários Márcio Ribeiro e Luciana Espíndola, o promotor aponta que eles fizeram funcionar alambique sem a devida licença ambiental e construíram as lagoas de contenção sem acompanhamento técnico, sendo, portanto, os responsáveis diretos pelo transbordamento do vinhoto no Córrego Capão Grande.

De acordo com o promotor, em razão da deficiência no serviço prestado pela Saneago e do dano ambiental causado pelos proprietários do alambique, os comerciantes, moradores e o Poder Público do município tiveram inúmeros danos. Visando coibir essa prática abusiva, o promotor requer ainda a condenação dos réus a pagarem RS 1.031.000,00 em dinheiro por causar dano moral coletivo. Para Lucas Braga, “é um valor quase simbólico, considerando a capacidade econômica dos requeridos e os danos causados à população”.

Os pedidos
Em caráter de urgência, foi requerido o bloqueio de bens dos réus suficientes para trazer efetividade ao processo, a fim de garantir eventual pagamento de indenizações. Por fim, considerando que os exames laboratoriais demonstraram que a Saneago abastecia a cidade com água imprópria ao consumo humano, com taxas de coliformes acima do permitido, tudo sem informar à população e sem tomar medidas para melhor purificação da água, deve ser contratada empresa independente para realizar análises semanais e acompanhar a qualidade da água fornecida.

Ainda em caráter liminar, foi requerida ainda a imposição aos réus Márcio Ribeiro e Luciana Espíndola da imediata paralisação de todas as atividades relacionadas ao alambique, inclusive a paralisação do plantio, adubação e colheita de cana de açúcar, ficando impedidos também de comercializar a cachaça já produzida ou estocada, sob pena de imposição de multa diária aos empresários em valor não inferior a R$ 50 mil. Foi pedido, assim, que seja determinado o lacre das entradas e saídas do estabelecimento, bem como os reservatórios onde porventura esteja armazenado o restante da cachaça.

À Saneago, é requerido que, no prazo de 10 dias, contrate empresa independente, sem qualquer vinculação à companhia de abastecimento, a fim de realizar semanalmente testes laboratoriais com o objetivo de atestar a qualidade da água fornecida à população de Nova Aurora, devendo publicar, semanalmente, nas rádios e em carros de som, os resultados desses exames, sob pena de imposição de multa diária em valor não inferior a R$ 1 mil. No mesmo prazo, é pedido que a Saneago tome medidas para manter a turbidez, o pH, o odor e os níveis de coliformes e escherichia dentro dos padrões estabelecidos pelo Conama e o Ministério da Saúde, sob pena de imposição de multa diária em valor não inferior a R$ 1 mil.

No mérito da ação é pedido que os empresários sejam condenados a recompor integralmente o dano ambiental causado pelo lançamento de vinhoto no córrego Capão Grande, entre outros pedidos. (Texto: Cristina Rosa / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – foto: Banco de Imagem)


O governador Marconi Perillo (PSDB) cumpriu agenda em Anhanguera, Catalão, Cumari e Goiandira nesta segunda-feira (29), inaugurando a rodovia que interliga essas cidades.

Mas em Cumari, a solenidade foi interrompida por uma mulher, que abordou Marconi Perillo e elevou a voz para falar sobre verbas para a Escola Estadual Castro Alves.

Alguns veículos de comunicação informaram erroneamente que a mulher seria diretora da escola. No entanto, a protagonista da cena foi Juliana dos Santos ex primeira dana do município. Ela só não foi impedida por seguranças e conseguiu chegar ao governador porque seu marido, o ex-prefeito da cidade Marquinho do Bento, estava bem ao lado de Marconi durante a solenidade – e este nada fez enquanto a sua mulher desferia palavras contra Marconi.

Perillo educadamente pediu que assessores tomassem nota da “reclamação”, mas não tinha a informação precisa de que tal verba já havia sido destinada à escola e que o problema ali era mesmo ego ferido, ou mais conhecido como dor de cotovelo.

A atual gestão de Cumari tem trabalhado em parceria com o Estado e apresentado, semanalmente, solicitações de verbas e subsídios para melhorias, manutenção e obras de novas edificações para a cidade. Mérito do Executivo local que tem se mostrado atuante desde que assumiu em 2016 e tem trabalhado em prol à comunidade de Cumari, sem apontar o dedo na cara de ninguém, tão pouco elevar a voz para se fazer presente.

O Blog Diante do Fato lamenta que a atual diretora da escola, Carmen Lúcia Honório, tenha sido confundida com a ex-primeira dama e mencionada como se tivesse prestado ao papel ridículo e oportunista apresentado pela Juliana Duarte dos Santos.


Um ciclista foi atropelado na noite desta quarta-feira (31), por volta das 20h15 na Go-330, próximo a cidade Ouvidor.

Segundo populares que presenciaram a situação, o ciclista seguia sentido catalão/ Ouvidor, quando o motorista de um caminhão que seguia no mesmo sentido bateu no cilista e fugiu sem prestar socorro, com o impacto o homem foi arremessado e caiu cerca de cinco metros a frente de onde o acidente aconteceu.

O corpo de bombeiros de Catalão foi chamado mais a vítima indetificada como José Luiz Pereira, 61 anos, já estava em óbito. O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Catalão.

Segundo informações o motorista do caminhão apresentou a polícia, foi ouvido pelo delegado e liberado. Segundo o motorista ele viu apenas um vulto. O corpo do idoso contínua no IML de Catalão.


Na tarde desta quarta-feira (31), o Corpo de Bombeiros foi acionado para atender uma ocorrência de queda de moto, onde duas vitimas ficaram feridas.

O acidente aconteceu por volta das 15h30 na GO 210, que liga Catalão a cidade de Goiandira, próximo ao antigo frigorífico.

As vítimas tiveram escoriações pelo corpo, e foram socorridas pelo corpo de bombeiros e encaminhadas ao Pronto Socorro da Santa Casa de Catalão.

Segundo relatos de uma testemunha, que estava logo atrás, a motociclista estourou o pneu traseiro.


Em visita a Rio Verde na última terça-feira, o presidente Michel Temer (MDB) foi informado que o deputado federal Daniel Vilela (MDB) cogita desistir da candidatura a governador se o MDB continuar rachado. Temer embarcou para Brasília certo de que, desta vez, ele e o pai Maguito Vilela não estão blefando.

Como informou o Goiás 24 Horas, Maguito reclamou em tom formal, ao presidente, da ala do MDB que conspira noite e dia para entregar a legenda ao senador Ronaldo Caiado (DEM). O ex-governador citou nominalmente os prefeitos Iris Rezende (Goiânia), Adib Elias (Catalão), Ernesto Roller (Formosa), Paulo do Vale (Rio Verde) e o deputado estadual José Nelto. Maguito recorreu a Temer por saber que o presidente odeia Caiado.

 

O ex-governador e ex-prefeito de Aparecida Maguito Vilela (MDB), pai do pré-candidato a governador Daniel Vilela (MDB), aproveitou a visita do presidente Michel Temer (MDB) a Goiás nesta terça-feira para pedir a ele que pressione o resto do partido no Estado a apoiar a postulação do filho dele.

Maguito disse a Temer que os prefeitos de Goiânia, Iris Rezende; de Catalão, Adib Elias; de Rio Verde, Paulo do Vale; de Formosa, Ernesto Roller; e o deputado estadual José Nelto conspiram noite e dia para desgastar Daniel e entregar a legenda para o senador Ronaldo Caiado (DEM).

Página 6 de 708« Primeira...456789...2030...Última »