A coordenadora do Centro de Apoio Operacional (CAO) dos Direitos Humanos, Patrícia Otoni Pereira, e o promotor Lucas Arantes Braga, coordenaram, na última quarta-feira (11/4), uma reunião sobre a implementação do projeto “Nosso Suas” em Goiandira. O encontro foi realizado na sede do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) da cidade, e contou com a participação de servidores da Secretaria Municipal de Saúde e das equipes de referência dos equipamentos de assistência social do município. Pelo Ministério Público de Goiás, compareceram ainda as servidoras Amanda de Azevedo Coutinho, do Coordenação de Apoio Técnico Pericial (Catep), e Maria José Soares, da Coordenadoria de Apoio à Atuação Extrajudicial (Caej).

Na reunião, Patrícia Otoni apresentou o projeto aos participantes, ressaltando seu objetivo de apoiar a reestruturação do Sistema Único de Assistência Social (Suas) no Estado. Explicou sobre o cofinanciamento do Fundo Nacional de Assistência Social ao Fundo Municipal, destacando o enquadramento das verbas de custeio e investimento. A assistente social da Catep, Amanda de Azevedo Coutinho, por sua vez, apresentou um diagnóstico do Suas no município, elaborado pela Unidade de Serviço Social por meio de levantamento de dados da rede, entrevistas com servidores e orientação à gestão sobre a política de assistência social da cidade.

Ainda com relação ao diagnóstico, o promotor Lucas Arantes Braga destacou a importância da reestruturação do Suas em Goiandira, ressaltando os pontos de maior importância para adequação. Assim, os participantes do encontro debateram sugestões e esclareceram dúvidas relacionadas à forma de atuação, infraestrutura e recursos humanos, que foram sanadas pelas técnicas da Catep e da Caej. O CAO dos Direitos Humanos entregou ainda kits com ecobags e material de apoio contendo cartilha e CD com compilado de leis e manuais sobre o Suas. Houve também um sorteio de camisetas do projeto, que foram entregues pelo promotor.

Ao fim, os presentes concordaram em cumprir as determinações acordadas no plano de ações, com tarefas de curto, médio e longo prazo. Para ter acesso a um vídeo da reunião, clique aqui(Texto: Bruno Corrêa – Estagiário da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO/ Supervisão: Ana Cristina Arruda/ Fotos: acervo do CAO dos Direitos Humanos)


A partir de amanhã (16), cheques de qualquer valor passarão a serem compensados em um dia útil. Hoje, os cheques de até R$ 299,99 demoram dois dias úteis para “cair” na conta das pessoas físicas, empresas, ou favorecidos. O novo prazo para a compensação nos cheques segue determinação da circular 3.859, publicada pelo Banco Central em novembro do ano passado.

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a alteração no prazo foi possível após implementação da compensação por imagem, em 2011. O processo por imagem reduziu o tempo e os gastos com transporte, eliminando as trocas físicas que antes eram feitas.

Outro fator que contribuiu para a redução no prazo de compensação, segundo os bancos, foi queda no número de cheques liquidados no país. Em 2017, foram compensados 494 milhões de cheques, 85% menos que o registrado 1995, quando foram compensados 3,3 bilhões de cheques.

Mudanças em relação ao cheque especial também vão ocorrer, mas a partir de 1º de julho. Pelas novas regras, as instituições financeiras terão de oferecer ao consumidor uma alternativa mais barata para parcelamento do saldo devedor do cheque especial.

Quando o consumidor “entrar” no cheque especial, o banco deverá comunicá-lo imediatamente, por meio de alerta, sobre a contratação do produto e que se trata de uma modalidade de crédito de uso temporário.

Segundo a Febraban, o valor do limite de crédito do cheque especial deverá ser informado nos extratos de forma clara de modo a não ser confundido com valores mantidos em depósito pelo consumidor na conta-corrente.

Fonte: Site Mais Goiás


Na madrugada deste domingo, 15, em uma fazenda na região de São Bento em Davinópolis, uma família discutiu após todos os seus integrantes terem ingerido bebida alcoólica.

Durante a discussão, um jovem de aproximadamente 25 tentou agredir o pai, mas foi impedido e acabou sendo morto pelo próprio irmão enforcado  durante luta corporal.

Depois do crime o agressor fugiu, mas foi preso pela Polícia Militar. A vítima foi indetificada como Luismar Bernardes da Silva. 

Fonte: PM/18 BPM

Motorista bate em poste e foge em Catalão

Postado em

Na madrugada deste sábado (14), por volta das 5h, uma família acordou assustada com o estrondo bem na porta de casa. As informações recebidas pelo Blog apontam que um VW Fox atingiu o poste e o muro da residência na rua Portugal Porto Guimarães, no bairro Nossa Senhora de Fátima. O motorista fugiu do local.

Assustados e acreditando que dentro do veículo pudessem ter ocupantes feridos, a família moradora da residência atingida foi verificar o ocorrido e só o veículo destruído foi encontrado

Uma equipe da Enel (antiga Celg) foi acionada e iniciaram reparos na rede elétrica minutos após a colisão. A Policia Militar esteve no local e acompanhou a ocorrência.

 


                                   VÍTIMA

A noite de sexta-feira (13) foi atípica para moradores da região Central de Pires do Rio. Por volta das 22h, três suspeitos cercaram um jovem e a vítima teria se assustado e reagiu à abordagem dos assaltantes.

A vítima chegou correu alguns metros pela avenida Egídio Francisco Rodrigues, nas proximidades da Igreja Nossa Senhora Aparecida, na Nova Vila, mas foi alcançado e agredido. Um dos suspeitos desferiu golpe com arma branca e a vítima caiu ao chão ferida. Os três suspeitos fugiram do local e em questão de segundos não foram mais vistos pelas testemunhas.

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas o ferimento foi no tórax e fatal. A vítima foi identificada como Renato do Carmo Vital, de 24 anos.

A Policia Militar efetuou diligências em busca dos suspeitos, mas ninguém com as características descritas pelas testemunhas foi encontrado. A Policia Civil de Pires do Rio esteve no local do crime e vai investigar o caso, que foi registrado como latrocínio – roubo seguido de morte.

O Blog Diante do Fato recebeu a informação de que a vítima havia saído da faculdade e estaria a caminho de casa quando o crime aconteceu. A reportagem lamenta o ocorrido e registra condolências à família e amigos de Renato.

Homem é vítima de esfaqueamento em Catalão

Postado em

Na noite desta sexta-feira (13), por volta das 22h30, um homem de 44 anos foi esfaqueado na avenida Estela, no Setor Aeroporto em Catalão. As circunstâncias do crime não foram esclarecidas e não há informações concretas nem oficiais do que ocorreu.

As informações que constam em boletim do Corpo de Bombeiros são de que o resgate foi acionado por terceiros e, ao chegar no local indicado, a vítima foi encontrada consciente e com ferimento no lado esquerdo do peito feito por objeto pontiagudo.

O homem foi encaminhado ao pronto-socorro da Santa Casa estável, porém com perda de sangue. O seu estado de saúde e os procedimentos feitos não foram informados pelo hospital.

Procurada pela equipe de reportagem do Blog Diante do Fato, a Policia Militar informou que a arma do crime e suspeito não foram localizados e que não há pistas suficientes para uma busca efetiva. Por isso, ninguém foi preso.


Cultura, esportes, lazer, segurança pública: o desenvolvimento da cidadania passa por vários caminhos. Ajudar os moradores de Catalão e Ouvidor, em Goiás, a alcançar essa cidadania é uma prioridade para a CMOC International Brasil, que irá investir, em 2018, mais de R$ 1 milhão em projetos sociais na região. E os projetos ligados à formação musical estão entre os mais concorridos.

Para 2018, a CMOC obteve recursos, através da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, que manterão o apoio da empresa a dois importantes projetos de Catalão: a Orquestra de Cordas Dedilhadas e Coral Nova Vida, da Fundação Espírita Nova Vida (Fenova), e o “Mãos que Tocam”, das Obras Sociais Jorge Faim Filho.

O projeto da Orquestra de Cordas Dedilhadas e Coral Nova Vida consiste em oficinas de guitarra acústica e canto coral para crianças e adolescentes dos 7 aos 17 anos. Ao todo, 240 crianças e jovens de Catalão são atendidos pelo projeto, que é patrocinado pela empresa há 15 anos.

Segundo a diretora e coordenadora da Fenova, Cleuzadir de Sousa Aires, a Fundação escolheu a música como forma de reinserção da criança e do adolescente tanto na família quanto na sociedade. “A criança passa por diversas fases de aprendizado, mediante aulas de violão, canto e coral, até chegar ao ponto de poder participar da nossa Orquestra de Cordas Dedilhadas, que já se apresenta em diversas cidades, como Goiânia, Uberlândia e até em São Paulo”, conta, orgulhosa, a diretora.

Graças aos recursos da parceria com a CMOC, a Fenova pode manter um quadro de seis professores de música (violão e canto), sendo que quatro deles são ex-alunos que, depois de deixarem o grupo, estudaram em faculdade de música e retornaram para trabalhar na formação de novos músicos. A Fundação também conta com dez monitores, que são adolescentes que mais se destacaram. Eles ganham uma bolsa para auxiliar os professores nas aulas. O apoio da CMOC também foi essencial para que a entidade pudesse adquirir todos os seus instrumentos musicais.

“É um trabalho muito bonito, de muito bom gosto. E a parceria com a CMOC é muito vantajosa. Eles dão uma sustentação fantástica à sociedade catalana. A gente percebe que eles acreditam no projeto”, elogia Cleuzadir.

Também foi contemplado com a renovação do patrocínio um projeto da entidade Obras Sociais Jorge Faim Filho, o “Mãos que Tocam”, que chega ao seu quinto ano, sempre com o apoio da CMOC International Brasil. O projeto oferece oficinas de violão e canto coral para 100 crianças e adolescentes de Catalão, com idades de 9 a 17 anos, em situação de risco e vulnerabilidade social.

 

Apoio às crianças e adolescentes

A CMOC já tem uma tradição de apoiar programas sociais e culturais nas cidades onde atua (Catalão e Ouvidor, em Goiás, e Cubatão, no Estado de São Paulo), como fez com o projeto “Balé para Todos”, da Cia. De Ballet do Sudeste Goiano, de Catalão, até o início deste ano, e com diversos outros.

Para 2018, a CMOC irá apoiar 13 projetos nesses municípios. A maior parte deles é voltada para crianças e adolescentes com idades entre 7 e 17 anos. Ao todo, serão mais de 5 mil crianças e jovens beneficiados por projetos incentivados (com recursos provenientes de leis de incentivo) e com recursos próprios.

Somente em Catalão e Ouvidor, cerca de 4.000 crianças e adolescentes serão beneficiados pelo apoio da CMOC a projetos (como a Fenova e o “Mãos que Tocam”).

Um dos novos projetos que entram no rol das parcerias da CMOC na região de Catalão é o Formare, iniciativa de qualificação profissional para jovens realizada em parceria com a Fundação Iochpe, de São Paulo. A primeira turma já está em curso na unidade de fosfatos da CMOC, em Catalão, com 20 alunos selecionados após um processo seletivo aberto à comunidade.

 

Sustentabilidade

Como associada ao Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), a CMOC International Brasil segue os Princípios de Sustentabilidade adotados pela entidade, pautados pela ética e pela construção de um legado positivo para a sociedade. As ações sociais feitas na região de Catalão e Ouvidor fazem parte da construção desse legado da CMOC. “Ao investirmos em projetos ligados à iniciação musical, estamos ajudando na formação cultural e na cidadania de crianças e adolescentes da região. E o trabalho com música também colabora com o distanciamento delas do mundo do crime, das drogas”, explica Fernando Rezende, diretor de Operações da CMOC.

Segundo Rezende, em 2017 foram investidos R$ 1,5 milhão em programas voltados para as comunidades da região – as iniciativas incluem o financiamento por meio de leis de incentivo fiscal e de investimento próprio da companhia.

Parte do investimento da CMOC, em 2018, é realizado por meio de leis de incentivo à cultura (Lei Rouanet), ao amparo a crianças e adolescentes (Fundo para a Infância e Adolescência – FIA) e o restante com recursos próprios.

 

Sobre a CMOC

A CMOC International Brasil é uma subsidiária da CMOC International companhia global com um diversificado portfólio de ativos, incluindo operações na República Democrática do Congo e Austrália. Atua no País com mineração e beneficiamento de nióbio e fosfatos, nas cidades de Catalão e Ouvidor (GO) e Cubatão (SP), por meio de suas empresas Niobras e Copebras. Gera mais de 3 mil empregos diretos, em suas três plantas industriais e duas minas. Acesse www.cmocbrasil.com e conheça mais sobre a CMOC International Brasil e as operações.

 

 


Luísa Barbosa Loiola precisa de ajuda para conseguir medicamento (Foto: Leonardo Loiola/Arquivo Pessoal)

Os pais de Luisa Barbosa Loiola, um bebê de três meses que sofre de atrofia muscular espinhal (AME), buscam ajuda para conseguir pagar um medicamento que custa mais de R$ 360 mil cada dose. Segundo os médicos, devido à doença, ela não consegue se desenvolver normalmente, perdendo a força nos músculos.

Luisa mora em Catalão e foi diagnosticada com a doença no último dia 6. Os primeiros sintomas surgiram há um mês, depois que ela foi ao pediatra, que percebeu que ela estava perdendo a força e os reflexos do corpo.

“Foi um susto muito grande. Passei dois dias chorando, mas depois prometi que ia correr atrás de tudo que fosse possível para conseguir o tratamento dela. Vou morrer atrás desse remédio”, disse o pai, o engenheiro agrônomo Leonardo Loiola Silva.

Ele conta que a filha passou por diversos médicos até chegar a um diagnóstico preciso. Com os resultados, também vieram as esperanças iniciais de tratamento. De acordo com Leonardo, há um remédio, lançado no ano passado, que pode ajudar a interromper o avanço da doença, de forma que a criança consiga se desenvolver novamente.

“Os médicos falaram que ela precisa tomar quatro doses do remédio o mais rápido possível. Isso pararia a doença. Essas quatro doses durariam seis meses. E depois, teria que comprar novas doses depois desse tempo”, disse.

O médico neurologista Hélio Van der Linden acompanha o caso da Luísa e aponta que o caso dela é o mais grave dentro da AME. “A medicação vem causando uma revolução no tratamento desses pacientes, quando indicada no tempo certo. Não há nenhum medicamento semelhante disponível no mundo ainda”, disse.

Ainda segundo o médico, não é uma cura, mas proporciona uma melhora clínica acentuada. “No caso do tipo 1 [nível da doença da Luísa], estudos mostram melhor eficácia no tratamento se a medicação for iniciada até os sete ou oito meses de idade”, pontuou.

A família ainda está no início da campanha, divulgando a campanha Todos Pela Luísa nas redes sociais e conseguindo doações.

“Uma das lições que aprendi já com essa situação é que ainda existe humanidade, ainda existem pessoas boas, que ajudam”, completou, esperançoso, o pai.
Leonardo contou ainda que pretende fazer pedido de ajuda junto à prefeitura e ao estado para conseguir o custeio do medicamento para filha.

 

DADOS BANCÁRIOS PARA DOAÇÕES 

Agência: 0564
Operação: 013
Conta: 51813-0
CPF 089.040.501-89
Luisa Barbosa Loiola

Fonte: G1 / Goiás


A promotora de Justiça Ariete Cristina Rodrigues Vale propôs ação de improbidade administrativa contra o prefeito de Catalão, Adib Elias, pelo uso das cores do seu partido, o MDB, em imóveis e bens municipais, em detrimento das cores oficiais do município. Desse modo, foi pedido à Justiça que o prefeito faça a substituição da pintura com recursos próprios e não do município de Catalão.

Conforme argumentado pela promotora, em março de 2009, a Câmara Municipal aprovou o Projeto de Lei nº 2.870/2009, o qual padronizou as cores azul e branca como as cores oficiais do município de Catalão, a serem utilizadas em todos os prédios públicos, secretarias, superintendências e autarquias. No entanto, apesar de haver esta previsão legal, diligências feitas pelos oficiais de promotoria constataram que diversas secretarias e unidades da administração pública estão pintadas com cores que repetem ao partido do prefeito, que são o amarelo-ocre, vermelho, verde e preto.

Visando resolver esta solução no âmbito extrajudicial, foram requisitadas informações e justificativas ao prefeito quanto às razões e embasamento que o levaram a pintar os prédios com as cores predominantes do MDB. Em resposta, o gestor informou que não havia identidade entre as cores do seu partido e as cores dos prédios públicos. Além disso, afirmou que a cor amarelo-ocre para a pintura dos prédios municipais não teve nenhuma conotação partidária, pelo contrário, teve como fator predominante a economia e eficiência na execução dos serviços da manutenção dos parques, jardins e prédios, já que é uma cor que não demanda manutenção constante. Ele alegou ainda que não houve qualquer intuito de promoção pessoal.

Em uma nova diligência feita pelo MP, constatou-se que mais prédios públicos haviam sido pintados de amarelo-ocre. Os edifícios que permaneceram nas cores oficias receberam, no entanto, uma fachada na qual foi inserido o símbolo do município que remete, pela visível similaridade, ao símbolo do partido político ao qual o prefeito é filiado.

Ocorre que, durante a apuração dessas irregularidades, o presidente da Câmara municipal de Catalão, que também é filiado do MDB, encaminhou à promotoria cópia do Projeto de Lei nº 65, de 18 de julho de 2017, aprovado pela Câmara, o qual tem como objetivo instituir o símbolo, slogan e a cor da atual administração municipal de Catalão.

Para a promotora, a lei visa dar ares de legalidade, transparência e impessoalidade para uma situação já sacramentada e executada por Adib Elias. “O caráter pessoal da lei sancionada pelo prefeito é gritante. (…) O que se pretende não é fazer com que os prédios públicos, uniformes, carros, entres outros, sejam identificados como sendo do município, mas, sim, com a atual gestão, a gestão dele e do MDB”, afirmou.

Ainda de acordo com Ariete, “é notório e incontestável o fato de que o requerido quis promover a si e ao partido no qual é coligado, instituindo e utilizando indiscriminadamente as cores amarelo ocre e o símbolo da atual gestão, o que caracteriza improbidade administrativa, eis que fere de morte os princípios da administração pública”.

No mérito da ação, é pedida a condenação do prefeito nas sanções do artigo 12, da Lei de Improbidade Administrativa. (Texto: Cristina Rosa / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – fotos: oficiais de Justiça Sione Pires Guimarães e Lincoln Roberto De Ávila)


Na tarde desta quinta-feira (12), por volta das 16h, foi encaminhado ao Presídio de Catalão o principal suspeito de matar a ex-mulher a tiros, João Machado da Silveira, de 53 anos. O crime aconteceu em dezembro de 2016 e após cometer o crime o homem estava foragido.

A família da vítima acompanhou as investigações da Polícia Civil que, após conclusão preliminar do inquérito, João Machado foi apontado como principal suspeito e dado como foragido pela Justiça.

O mandado de prisão foi expedido, mas o suspeito não havia sido localizado. No último dia 23 de março, João Machado da Silveira foi encontrado durante abordagem policial em Imperatriz, no Maranhão, onde residia há cerca de três meses.

O mandado de prisão tinha validade até 2037, por homicídio qualificado por feminicídio. Se condenado ele pode receber sentença de até 30 anos de reclusão.

O CRIME

João Machado da Silveira, 53 anos, foi até a residência de sua ex-mulher, no bairro das Américas, para devolver a filha de 5 anos. Era um domingo à noite, 16 de dezembro.

Vítima: Adriana da Silva, de 39 anos

Por volta das 20h30, a criança entrou na casa da mãe e o suspeito chamou pela ex. Ainda na garagem na residência, João Machado desferiu vários disparos com arma de fogo contra a ex-mulher. Adriana da Silva, de 39 anos, morreu no local. O suspeito não aceitava o término do relacionamento.

Nota da Polícia Cívil 

A Polícia Civil de Goiás concluiu na tarde desta quinta-feira 12,  o recambiamento de João Machado da Silveira, 53a, o qual estava preso na cidade de Imperatriz-MA desde o dia 23.03.18. João Machado teve sua prisão preventiva decretada pela Justiça após representação da Polícia Civil de Catalão, vez que indiciado em inquérito policial que tramitou na Delegacia da Mulher por ter em dezembro/16 assassinado a tiros sua ex-mulher (crime de feminicídio, previsto no art. 121, par. 2° , do Código Penal – pena de 12 a 30 anos de reclusão).

O suspeito estava foragido desde a prática do crime e foi preso pela PCMA. Após as formalidades legais, a PCGO diligenciou até o Estado do Maranhão e hoje à tarde o suspeito foi recolhido na Unidade Prisional de Catalão à disposição da Justiça, onde irá responder pelo crime praticado.

 

 

Página 3 de 724123456...1020...Última »