thiagofsilva21@hotmail.com

64 98165-9583

13 de março de 2018

Bebê tem cabeça arrancada durante parto em Araguari, segundo caso em quatro meses

Um bebê teve a cabeça arrancada durante o parto em Araguari, interior de Minas Gerais. Na madrugada de segunda-feira (12), grávida de seis meses, Mariana Pereira sentiu fortes dores e entrou em contato com sua médica, que a encaminhou para uma ultrassonografia. O exame revelou que o bebê estava sentado e seria necessário realizar o parto imediatamente.

A unidade de saúde particular onde estavam não possuía leito de UTI infantil disponível e, por isso, Mariana foi levada para a Santa Casa de Misericórdia da cidade mineira.

Segundo o pai da criança, Elder Jonatas Santos Silva, o médico da unidade analisou os exames e se negou a realizar a cesárea. “Não me deu muitas explicações, e começaram a aplicar injeções para induzir contrações”, disse.

Elder acompanhou o procedimento e viu o momento em que o bebê foi puxado pelos pés.

O atestado de óbito emitido pela Santa Casa afirma que havia sido decretada a morte da criança antes do parto. No entanto, a família nega e garante que se fosse realizada a cesárea a menina estaria viva. “Isso é mentira, foi só para defender o médico que errou. Antes do parto, minha filha estava se mexendo, tudo era normal. Vi o corpinho dela, menos a cabeça”, afirmou o pai ao jornal Metrópoles.

Essa não é a primeira vez que um bebê morre durante esse procedimento na Santa Casa de Araguari. Em novembro de 2017, Tânia Borges da Silva contou que seu médico desaconselhou o parto normal devido a posição e tamanho da criança, mesmo assim, os profissionais do hospital dispensaram o procedimento e, ao insistir no parto normal, a criança teve a cabeça arrancada.

O hospital e a Prefeitura da cidade chegaram a ser procurados pelos jornal Metrópoles, mas não houve nenhum posicionamento sobre o caso.

Fonte: Jornal O Popular